Montanhas‎ > ‎

Dedo de Deus

Localizado no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, o Dedo de Deus (1692m) se destaca pelo seu formato único e beleza. Símbolo do Montanhismo Brasileiro, o Dedo de Deus é certamente a montanha mais conhecida da Serra dos Órgãos, quiçá do Brasil.
O Dedo de Deus foi o palco do nascimento do Montanhismo no Brasil. Essa história começou em 1912 com a conquista do Dedo de Deus por cinco jovens teresopolitanos.

A Conquista

No início do século XX diversos alpinistas estrangeiros haviam tentado sem sucesso chegar ao cume desta montanha.
Ao saber da notícia o ferreiro pernambucano José Texeira Guimarães, radicado em Teresópolis lançou a idéia da conquista. A ele juntaram-se Raul Carneiro e os irmãos Acácio, Alexandre e Américo Oliveira, todos de Teresópolis.
Algumas incursões para reconhecimento do local teriam sido feitas pelo grupo, mas a investida que resultaria na conquista teve início na manhã de 6 de abril de 1912, sendo consumido um dia inteiro na caminhada de aproximação e montagem do acampamento-base. A chuva que caiu no dia seguinte não permitiu qualquer avanço. Na manhã do dia 8 são retomados os trabalhos e aí enfrentam o primeiro grande obstáculo: um paredão vertical de aproximadamente 12 m, com uma calha e fissura do lado direito. Ali são colocados, inicialmente 2 grampos de arganel. Com auxílio de um tronco amarrado aos grampos é vencido um lance e alcançado um pequeno platô; mais 2 grampos e o mesmo recurso do tronco, e o paredão superado. O lance que viria a seguir, com 3 m e igualmente vertical é vencido através de uma pirâmide humana, permitindo atingir a base de uma chaminé horizontal muito estreita, com 8 m de extensão, transposta com alguma dificuldade após a colocação de 4 grampos. Neste ponto é preciso enfrentar um lance externo e bastante exposto que exige a colocação de outros 3 grampos aos quais amarram o tronco; mais um obstáculo é vencido.

Não bastasse a persistente garoa, cai a tarde e começa a escurecer. Já não é mais possível prosseguir. Retornam então, à base do primeiro paredão onde, numa reentrância de pedra, se acomodam para passar a noite. Na manhã do dia 9 de abril reiniciam a escalada superando, um a um, todos os lances vencidos no dia anterior. Chegam, finalmente, a uma chaminé bastante estreita mas de pouca dificuldade ("Arranca-botão"). Outra chaminé vem a seguir, esta em forma de V, sendo cravados 3 grampos no primeiro trecho e mais 2 no segundo, permitindo alcançar um platô bastante amplo. Neste ponto já é possível antever a próxima chegada ao cume, mas o obstáculo agora é o paredão negativo de uns 4 m. Colocando um grampo na base e outro a 1,5 m, fixam a eles um tronco. Com auxílio de pirâmide humana, fazem subir Alexandre, o mais leve, o qual fixa o último grampo, possibilitando, assim, a subida de todo o grupo. Eram 17:00 do dia 9 de abril de 1912 e o Dedo-de-Deus fora finalmente conquistado!

Ao todo foram fixados 19 grampos de arganel (executados por Texeira), alguns dos quais ainda lá se encontravam. Após acender uma fogueira com objetivo de sinalizar para Teresópolis, os conquistadores improvisaram uma cobertura com ramagens e pernoitaram no cume.

Às 10:00 do dia 10 de abril, após hastearem uma bandeira nacional, os escaladores iniciaram a descida. Em Teresópolis foram recebidos como heróis e seu feito notificado com grande destaque pela imprensa. Feito notável para a época, principalmente se considerarmos que não tinham qualquer noção de técnica de escalada nem o equipamento de segurança de que hoje dispomos.

Consta que alguns conquistadores teriam voltado ao Dedo 2 anos após a conquista, mas naquela época não existiam associações de montanhismo e não se dispõe de qualquer registro desses eventos.


Ascensão Arrojada

 
Pela primeira vez a bandeira brasileira tremula no "Dedo de Deus".

Telegrama que acabamos de receber de Therezopolis informa-nos da arriscada expedição que fizeram ao Dedo de Deus os arrojados excursionistas José Teixeira Guimarães, José Américo Oliveira Junior, Accacio José Oliveira, Raul Carneiro e Alexandre José Oliveira, que deram mostras de grande arrojo na perigosa empresa, e também de bello patriotismo, desfraldando naquelas alturas, virgens de vestígio humano, o auriverde pendão brasileiro.
É a primeira vez que a nossa bandeira fluctua em tão grande altitude.
Fonte: Jornal "Correiro da Manhã", 09 de abril de 1912 (terça-feira)
 

A Primeira ascensão ao "Dedo de Deus"

 
De Therezopolis escreve-nos o conceituado capitalista sr. Joaquim Freire, que assistiu á ascensão dos primeiros excursionistas que conseguiram galgar os ásperos cimos do "Dedo de Deus". "Escrevo-lhe com o espírito incendido e o coração transbordando alegria pelo acontecimento que hoje abalou os que, em Therezopolis, se interessam pelos feitos úteis.
Hoje, dia 8, ás 11:45 da manhã, foi galgado o cimo do grande obelisco conhecido pelo nome de "Dedo de Deus", que na cordilheira dos òrgãos desafiava as audácias humanas. A escalada do imponente obelisco, que até hoje era reputado inacessível, só não abalará o mundo scientifico por ter sido feita por meros touristes, sem maiores preocupações.
As 11:45, ascenderam o cimo; ás 12,40 fincavam a primeira bandeira branca, e á 1 hora içaram a bandeira nacional.
Devo dizer-lhe, sem vaidades, mas intima satisfação, que fui eu quem primeiro desvendou os felizes profanadores do segredo que a Natureza tão avaramente escondeu nos píncaros daquela pedra.
Fui esperal-os à saída da picada, por onde haviam penetrado na serra e vi, com bastante magua, que entre alguns amigos delles só eu representava o elemento veranista. Conduzi-os ao Hotel Hygino, onde bebemos uma taça de champagne.
Remetto-lhe uma "magnólia silvestre", colhida no cimo da pedra, onde há alguma vegetação e muita pedra solta.
Na próxima quarta-feira serei portador das photographias dos cinco heróes. Será o Correio da Manhã o primeiro a estampar o retrato dos arrojados excursionistas, como foi o primeiro a receber a nova extraordinária ascensão."

Fonte: Jornal "Correio da Manhã", 10 de abril de 1912 (quarta-feira)

Nota: Há uma dúvida acerca da real data em que ocorreu a conquista do "Dedo de Deus", já que alguns textos informam ter sido o dia 08 de abril e, outros, em maioria, reportam o dia 09 de abril de 1912. Da fonte consulta, não resta dúvida quanto a ser o dia 08 de abril de 1912, uma segunda-feira, o dia da conquista. Ocorre que, por motivo que desconhecemos, a comemoração da conquista no dia nove se tornou uma tradição entre os montanhistas. Fica como registro histórico a matéria publicada no Jornal "Correio da Manhã"


Primeira Mulher a Escalar o Dedo de Deus

Dia 27 de setembro de 2005, a sócia honorária do Centro Excursionista Brasileiro (CEB), a escaladora Luzia de Freitas Caracciolo, faleceu aos fabulosos 91 anos de idade. Aos 19, Luzia se tornou a primeira mulher a chegar ao cume do famoso Dedo de Deus, localizado no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, no Rio de Janeiro – em uma época em que o montanhismo e a escalada em rocha eram atividades de domínio masculino, ainda mais no Brasil. Para a sociedade não soava muito bem uma mocinha de 19 anos se embrenhar no mato para chegar à base de uma montanha e escalar na companhia sempre de homens. Imaginem o espanto que isso devia causar.
Luzia tomou a decisão de escalar o Dedo de Deus quando soube que um grupo de amigos iria fazer uma investida ao cume do pico, onde nenhuma mulher até então havia colocado os pés. “Não queria que uma estrangeira levasse o título de primeira mulher a subir o Dedo de Deus”, revelou Luzia em uma entrevista concedida ao site 'O Eco'. Para ser aceita no grupo, ela precisou passar por alguns testes: subiu primeiro a trilha da Pedra da Gávea e, na semana seguinte, enfrentou a Chaminé do Morcego, no Morro do Cantagalo. Aprovada nos testes, só restava então o desafio do Dedo de Deus. “Foi uma escalada bem difícil. A gente não pensava nos riscos que corria. Desafiávamos o perigo para só depois perceber o que tínhamos feito”, lembrou. E sempre de saia e calção por baixo, como as moças usavam então. “Mulher de calça era chamada de mulher-homem”.
Leia mais em: Via Crux - Primeira mulher a escalar o Dedo de Deus.



Primeira Missa realizada no Dedo de Deus

Em agradecimento ao término da 1ª Guerra Mundial, uma missa foi celebrada pelo reverendo padre Pio Otoni Júnior no dia 29 de junho de 1945, levando ao cume do Dedo, outros vinte e dois heróis: Pio Otoni Júnior, Miguel Inácio Jorge, Malvino Américo de Oliveira, José Paim da Graça, Artur Inácio Jorge, Edson Chagas, Januário Modesto, Bernardino Mattos Filho, Antonio Fagundes, Oto José da Rocha, Sílvio Percú, Clemente Bonifácio, Alfredo Gordon, Júlio de Oliveira Santos, José Leandro, Paulino da Mota, Silvio Mendes, Mario de Oliveira, Walter Américo de Oliveira, José Oliveira Santana e Joaquim Berlim dos Santos.


Veja o vídeo ao lado gentilmente cedido pelo programa Estilo Radical.







50 anos da conquista do Dedo de Deus

Filmagem dos 50 anos da conquista do Dedo de Deus. Montanhistas: Acácio de Oliveira, José Telles (Chuchu), Miguel Jorge Inácio, etc.














Referências:

Campo de Altitude: Dedo de Deus